Semana Santa são dias para reflexão e não para o pecado

O Arcebispo de Piura e Tumbes (no norte do Peru), Dom José Antonio Eguren, exortou os fiéis a viver intensamente a Semana Santa para assim entregar sua vida “ao Senhor Jesus, morto e ressuscitado por nós”, porque estas datas são para a reflexão e não “dias de férias para o descanso frívolo, a diversão ou pior ainda para o pecado”.

“Não permitamos que um clima secularizado que vai esfriando nossa fé cristã se apodere de nós mas seja na verdade o fogo do mistério da Páscoa que dê luz e calor às nossas vidas. Que sejam dias para encontrar, conhecer e seguir a Cristo, Luz do mundo, Vida e nossa Ressurreição!”, expressou em uma exortação pastoral publicada este domingo.

Dom Eguren afirmou que a morte de Cristo na Cruz “é a maior prova do amor” de Deus. Afirmou que com seu sacrifício, o Senhor deu aos homens o maravilhoso presente “da Cruz como símbolo de nossa reconciliação”.

O Arcebispo também pediu aos fiéis a reflexão em torno da Cruz os leve “a um maior compromisso pela santidade em nossa vida cristã”. “Não há cristianismo sem Cruz! A Cruz é parte fundamental da vida cristã, não como expressão de desgraça ou resignação, mas como caminho misterioso e paradoxal de felicidade e de vida eterna”.

Em sua exortação pastoral, o Prelado convidou a morrer ao pecado e às paixões desordenadas, aos apegos e egoísmos, assim como ao cristianismo do mínimo esforço, pois “só se chega à Ressurreição  passando necessariamente pela sexta-feira da Paixão e da Morte”.

“Por isso a Semana Santa é ocasião propícia para examinar-nos seriamente e perguntar-nos: Vivo um processo contínuo de conversão? ou sou medíocre e não ponho os meios necessários para ser santo? Ardo em desejos de santidade e de configuração com Cristo? Amo a Igreja e me esforço por fazê-la amar?”, perguntou.

Dom Eguren recordou que na Cruz também se revela “a maternidade espiritual de Santa Maria. Jesus nos convida a descobrir Sua Mãe como nossa também. Convida-nos a participar de seu estado de Filho da Santa Maria e nos anima a amá-la como Ele a ama”.

Finalmente, o Arcebispo reiterou seu convite a contemplar a Cruz porque por ela “foi vencido o maligno, ficou derrotada a morte, nos transmitiu a vida, nos devolveu a esperança e foi-nos comunicada a luz. Salve, ó Cruz, esperança única!”.

Fonte: Site Editora Cleofas – www.cleofas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *