Papa no Twitter: iniciativa adequada ao modo atual de comunicar-se

“A presença do Papa no Twitter é adequada ao modo em que o homem se comunica hoje”. Foi o que afirmou o padre italiano Antonio Spadaro, assessor do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, do Vaticano, e editor responsável pela revista “La Civiltà Cattolica”, em visita ao Brasil para participar do Seminário de Jovens Comunicadores, realizado no último final de semana em São Paulo.

Padre Spadaro afirma que o dia 03 de dezembro de 2012, data do lançamento da conta do Papa no Twitter, faz ligação ao dia 12 de fevereiro de 1931, quando o Papa Pio IX lançou a primeira mensagem via rádio, através da Rádio Vaticano.

Segundo ele, é normal que o Papa tenha uma conta no Twitter, uma das redes sociais mais utililizadas no mundo, pois esses meios tem se transformado em lugares de reflexão e partilha de ideias, bem como de valores e momentos de vida. “Tantos líderes religiosos já estão no Twitter. Portanto, eu diria que é normal que o Papa tenha uma conta que faça referência a ele”, destacou padre Spadaro.

Outro ponto lembrado pelo sacerdote é o de que os 140 caracteres utilizados para enviar uma mensagem no Twitter não são impedimento para a partilha de mensagens profundas.

“Na mensagem, escrita pelo Papa para a Jornada das Comunicações Sociais, a mais recente, Bento XVI, mesmo não citando o Twitter, escreve que na essência das mensagens breves, muitas vezes não muito mais longas do que uma passagem bíblica – e aqui a referência parece-me evidente – podem-se exprimir pensamentos profundos se cada um de nós não deixar de cultivar a sua interioridade”, recorda padre Spadaro.

E complementa: “Esta, portanto, é a chave de leitura justa e de acertada interpretação: cultivar a própria interioridade. Graças a isto é possível exprimir mensagens essenciais, ditas com palavras precisas, que requerem um certo esforço de linguagem, eu diria quase como que um esforço poético, para conjugar sabedoria e clareza. Esta é a linha mestra pela qual a expressão sintética não vem em detrimento da profundidade ou da lentidão de assimilação. Mas, eu diria, que quase ao contrário, favorece a ligação a uma meditação mais densa. É o que demonstra o grande sucesso dos versos e da poesia no Twitter. Na nossa vida frenética compreende-se a necessidade de ter alguma coisa de sapiente que possa quebrar a rotina do cotidiano colocando uma pequena semente de reflexão e meditação”.

Fonte: Canção Nova Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *