No término da nossa vida o que nos julgará é o amor

Essa palavra vem nos ajudar muito neste dia de finados. O nosso corpo é moradia nesta terra, mas Deus os dá outra moradia no céu. Jesus disse à Marta: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, mesmo que esteja morto viverá.” Essa é a nossa esperança.

Nós não queremos abrir mão desta vida, do nosso corpo mas e se hoje for o seu dia ? Lembre-se que precisamos estar preparados! Não sabemos o dia e nem hora que iremos nos encontrar com o Senhor. A Igreja reza no prefácio dos fiéis defuntos, que quando morrermos vamos nos libertar desse corpo de morte, e vamos abraçar a vida eterna.
Muitas vezes as pessoas perguntam: Padre se eu era coxo, cego, surdo lá no céu eu também serei deficiente? Não meu irmão. No céu você terá um corpo glorioso, um corpo novo. Mas para ir para lá precisamos passar pela morte.

Preparar-se para a morte é a máxima de hoje. Somos cidadãos dos céus. Essa é nossa verdadeira morada. São Francisco de Assis chamava a morte de irmã. E eu quero dizer para você: a morte está 24horas ao seu lado. Elá está on line.

São João da Cruz ele dizia: “No término da nossa é que nos julgará é o amor.” O amor nos impele a desejar o céu. A morte é uma etapa que precisamos viver para estarmos definitivamente com Deus.

Sabe porque nós nos desesperamos quando vemos a morte ? Saiba que a morte não tem mais a ultima palavra em nossa vida, porque Jesus matou a morte, no alto da Cruz. Jesus é a ressurreição.

Quando meu pai morreu eu tinha 17 anos, foi no dia da minha formatura de colegial. Ele me disse que no dia de sua morte: “Meu filho o Pai vai embora, mas quando eu chegar no céu, eu vou pedir a Jesus por você.” Essa palavra do meu pai me dá forças até hoje.

É o amor que vai nos unir lá no céu. O que vai nos identificar é o amor. Não coloque sua esperança aqui nesta vida. Aqui é somente um estágio, pelo qual nós passamos. A morte não deve ser vista com um bicho-papão. Mas ela deve ser vista como nosso passaporte. Onde uma árvore tomba, ela fica. Onde a nossa alma tomba, lá ela fica.

Eu não sei quanto tempo eu tenho. O importante é viver bem o dia de hoje, e aproveitar para me preparar para meu encontro definitivo com o Senhor. Tenha uma visão espiritual. Não pare naquilo que é externo.

Qual é o sentido que estou dando à minha vida? Não pare no aspecto da morte. O que a morte dessa pessoa quer me ensinar? Não culpe Deus pela morte, o nosso Deus é o Deus da vida. Se a morte entrou no mundo foi por causa da desobediência do homem e da mulher.

Não perca tempo. Reconcilie-se com a irmã morte. Quem ama prepara o outro para se encontrar com Deus. Quem ama gera os filhos e filhas, marido, amigos para Deus. Lembre-se você foi feito para o céu, mas para ir pra lá não tem como pular etapas. É preciso viver bem essa vida e preparar bem sua morada definitiva. A morte é essa passagem necessária para entrarmos na vida eterna.

Diga para pessoa que você a ama hoje, porque se você morrer hoje você vai morrer em paz. Não deixe para amar amanhã. Ame hoje. Ponha sua confiança no Senhor, é para lá que dirigimos a nossa vida.

Neste dia de finados elevemos o nosso olhar para o céu. Lá é o nosso lugar. Tenha esse anseio de ganhar o céu, mas comece aqui na terra: amando, perdoando, nãos endo ranzinza. Senhor hoje eu quero ganhar o céu. Eu quero trabalhar todos os dias, para ganhar o céu.

Padre Toninho

Sacerdote da Comunidade Canção Nova

Transcrição e adaptação: Cristiane Viana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *